lancamento do ix festival culturalPara quem vê o formato actual do Festival Nacional da Cultura, pode, de imediato, surgir-lhe a ideia de que este nasceu já sob o perfil em que se nos apresenta actualmente, alcançada já a edição VII (Nampula - 2012).

Em 1978 realizou-se a primeira edição do Festival da Cultura, que teve lugar na Cidade de Maputo, com a designação de Festival Nacional de Dança Popular, tendo reunido de 17 a 24 de Julho vários grupos escolhidos nas províncias, em locais programados para a exibição de espectáculos, casos do pavilhão do Sporting, actual Maxaquene, do Malhangalene, da Praça de Touros, Clube Ferroviário e Parque campismo.

Depois das exibições na fase provincial, os grupos participantes, oriundos de todas as províncias reuniram-se em Maputo para a fase nacional do evento, com exibição de diversas danças populares; a sua sessão inaugural teve como palco o Estádio da Machava, com a honrosa presença do primeiro presidente da República, o Marechal Samora Moisés Machel.

No evento, 600 artistas, entre dançarinos e músicos, entraram em exibição, do universo, 60 representando cada província.

Na altura, a escolha da dança como manifestação artística para a primeira edição, deveu-se ao facto desta modalidade artística ser a mais forte e popular expressão cultural.

Depois da primeira edição, o evento conheceu uma interrupção, devido ao recrudescimento da guerra dos 16 anos, entre outros factores.

Em 1981 foi realizado o I Festival Nacional da Canção e Música Tradicional, cuja sessão inaugural teve lugar na Praça de Touros, local onde o Presidente Samora proferiu, pela primeira vez, a celebre expressão “cultura é o sol que nunca desce” e a cantora sul-africana Miriam Makeba brindou aos participantes com a música “A luta Continua”.

Na génese desta grande festa cultural, ficam registados o II Festival Nacional de Dança Popular, em Maputo, de 4 a 6 de Outubro de 2002, coincidindo desta feita com a celebração do décimo aniversário dos acordos de Roma, com a sessão inaugural realizada na praça da Paz.

O II Festival Nacional da Canção e Música Tradicional ocorreu em 2006 na Cidade de Pemba, o primeiro depois da declaração pela UNESCO do Nyau e da Timbila como obras-primas do património oral e imaterial da humanidade. A partir deste período o Festival passou a adoptar o formato multidisciplinar, tendo também se adoptado uma contagem sequenciada para a designação dos festivais, partindo do primeiro até ao último. Deste modo, teria lugar em Xai-Xai, de 11 a 18 de Julho de 2008, o primeiro festival multidisciplinar, o quinto na ordem de realização dos festivais. Aliás, foi a partir do festival de Xai-Xai que se adoptou a regularidade de realização dos festivais, bienalmente, obedecendo ao processo de rotatividades pelas províncias, tendo seguido àquele o VI Festival Nacional da Cultura (Chimoio – 2010) e, depois, o VII festival (Nampula – 2012).