Experiência professional

Realizou concertos de Norte a Sul de Portugal, bem como em Espanha, Alemanha, França, Dinamarca, Suécia, Angola, Moçambique, Brasil entre outros. Em 2001 venceu a XVI edição do Prémio Jovens Músicos na categoria de oboé.

Colaborou como convidada com a Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Sinfonieta de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, Malmö Symphonie Orchestra (Suécia), Malmö Opera Orchestra, Danish Radio Sinfonietta (Dinamarca), Orquestra Sinfónica da Bahia (Brasil), Kwazulu Natal Philharmonic Orchestra (África do Sul) entre outras.
Tocou a solo com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Nacional do Tejo, Orquestra Gulbenkian (PJM 2001), Orquestra Sinfónica da Bahia, Orquestra de Câmara Portuguesa, Kwazulu Philarmonic Orchestra e com a Johanesburg Festival Orchestra.

Enquanto docente, trabalhou na Escola profissional de Música de Évora, na Escola de Música de Palmela, no Projeto Neojibá (Brasil) e na Academia de Música Costa Cabral. É professora convidada do Projecto social Neojibá (Brasil).
Actualmente, desempenha as funções de Solista na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música.
Eldevina Materula, foi Directora Artística do Projecto Xiquitsi/Temporada de Música Clássica de Maputo desde a sua fundação em 2013, e em Maio de 2016 foi condecorada com a medalha da Ordem de Mérito o Infante D. Henrique pelo Presidente da República Portuguesa- Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa.

Em Janeiro de 2020 foi nomeada Ministra da Cultura e Turismo da República de Moçambique.